Assintomáticos x pré-sintomáticos: quais são os riscos de transmissão?

O novo coronavírus (SARS-CoV-2) é singular por muitas razões, apresentando ainda muitas interrogações. Uma de suas características é a facilidade com que as pessoas podem ser infectadas por alguém sem sintomas, ou seja, por pessoas portadoras assintomáticas. Mas há uma diferença entre a contaminação ou transmissão assintomática e a contaminação ou transmissão pré-sintomática.

A contaminação assintomática é a transmissão do vírus por aquelas pessoas que não apresentam sintomas e talvez nunca terão sintomas desde o início de sua infecção. Em torno de 5% das infecções acontecem desse modo.

Na disseminação pré-sintomática a transmissão do vírus ocorre por pessoas que não se sentem doentes, mas que já estão infectadas e que acabarão tendo sintomas mais tarde. Em torno de 45% das infecções podem acontecer desse modo. É importante manter o distanciamento social porque a Covid-19 é uma doença transmissível pela via respiratória e por contato. A pessoa pode não estar sentindo nada, mas está na fase de incubação do vírus e, neste caso, é possível já haver a transmissão.

Outros cuidados são o uso de máscaras e a lavagem de mãos. Quando não for possível, use o álcool 70%. A proteção individual também diminui as partículas virais no ambiente e superfícies. Portanto, a transmissão da doença pelos assintomáticos, apesar de mais rara, é possível, e ainda não se sabe o quanto de vírus talvez seja necessário para a transmissão. Por tudo isso, os cuidados devem ser mantidos.

Compartilhe