Fiocruz alerta para alta de casos de síndrome respiratória no país

Dados da Fiocruz, divulgados neste mês de dezembro, mostram que o número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) cresceu em vários estados brasileiros, sendo a principal causa entre adolescentes e jovens adultos. Dentre as doenças que causam essa síndrome estão as infecções dos pulmões (pneumonias), que podem ser causadas por vários microorganismos, como bactérias, fungos e vírus, incluindo o novo coronavírus.

De acordo com a Fiocruz, a maioria das ocorrências está relacionada à covid-19 e se concentra na faixa etária dos dez aos 29 anos, na qual há menos imunizados. Os aumentos foram registrados no Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. A tendência de aumento é especialmente mais forte no Pará, no Ceará e no Rio de Janeiro. Neste último, o quadro pode estar sendo agravado por uma epidemia de gripe.

No caso das crianças (0 a 9 anos), os resultados laboratoriais associados a esses casos seguem apontando predomínio de Vírus Sincicial Respiratório (VSR), que acompanha a tendência de aumento de casos de SRAG nesta faixa etária. A incidência entre adolescentes (10 a 19 anos) e jovens adultos (20 a 29 anos) se mantêm majoritariamente associada à covid-19.  Com isso a Fiocruz fez um alerta à população para que se vacine e mantenha os protocolos de distanciamento físico, higienização das mãos e uso de máscaras, sobretudo em locais fechados.

Compartilhe