Vacina contra a Covid-19: razões para acreditar no potencial para salvar vidas

Eficácia e segurança

Todas as vacinas que passaram pelo estágio três com sucesso, independente da tecnologia que utilizam, são eficazes. Esse percentual precisa ser de pelo menos 50%, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). As duas vacinas sob análise da Anvisa para o uso emergencial apresentam percentuais ainda mais elevados. No Brasil, a CoronaVac apresentou eficácia de 78% contra o vírus e 100% contra casos graves da doença considerando apenas os pacientes que necessitaram de cuidados médicos nessa estatística. Já a eficácia geral da vacina —dado que inclui também os infectados que nos estudos apresentaram sintomas muito leves — é de 50,38%. O imunizante da Oxford-AstraZeneca, por sua vez, teve 73% de eficácia comprovada e mostrou ainda evitar 100% dos casos de hospitalização.

As vacinas reduzem as chances do surgimento de novas mutações

Quanto mais o tempo passa sem que as pessoas se vacinem, maiores as chances de que outras mutações de vírus surjam. O comportamento dessas novas variações é imprevisível e pode trazer problemas para toda a humanidade que ainda nem podem ser dimensionados.

As vacinas são fundamentais para o controle do covid-19

Após um ano de pandemia, não foram encontradas drogas que comprovadamente curem os pacientes acometidos pela covid-19. A maneira mais segura e eficiente de controle do vírus é a vacinação. Dessa forma, um maior número de pessoas nem mesmo precisará enfrentar a infecção, e os índices de hospitalização devem cair drasticamente.

O futuro da humanidade depende da vacinação

Vacinar-se ou não pode parecer uma escolha individual, mas essa é uma decisão que afeta a saúde coletiva. Embora as vacinas sejam bastante seguras para a população em geral, num primeiro momento podem não ser indicadas para crianças e gestantes, já que esses grupos ainda não passaram pelos testes clínicos necessários. Além disso, alguns desses imunizantes são contraindicados para pacientes imunodeprimidas. Para que esses grupos ainda não poderão ser imunizados fiquem protegidos, é preciso que o maior número possível de pessoas se vacine o quanto antes.

Cuidados devem ser mantidos mesmo com a chegada da vacina

Mesmo com a vacinação já iniciando aos poucos, ainda será preciso manter os cuidados. Nesse momento de crise, o que precisamos é proteger as pessoas. A vacina contra covid não terá o efeito esperado se não mantivermos cuidados como distanciamento, uso de máscaras e lavagem das mãos.

Compartilhe