Surto de doença diarreica no estado do RGS

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) emitiu um alerta, no mês de outubro, sobre um surto da doença diarreica aguda (DDA) registrado em 25 municípios do Rio Grande do Sul.

A transmissão da doença se dá, principalmente, por meio do consumo de água ou alimentos contaminados. No caso do norovírus, ela ainda pode ocorrer através de contato com superfícies contaminadas.

Entre os sintomas, diarreia que pode ou não ser acompanhada de dor abdominal, náusea, vômito e febre. A diarreia pode provocar desnutrição e desidratação intensas e, se não for tratada, leva à morte, razão pela qual o atendimento médico deve ser procurado logo que os primeiros sintomas se manifestarem.

A contaminação geralmente ocorre pela ingestão de água e, em alguns casos, pela comida. É uma doença grave e que exige cuidado médico imediato.

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) orienta a população a consumir água somente de fontes seguras que tenham processo de desinfecção por cloro ou outra tecnologia. Também sinaliza que é importante fazer a limpeza de caixas d’água com regularidade.

Recomendações à população de prevenção à doença diarreica:

• Consumir água de fontes seguras (potável) tratadas e que tenham processo de desinfecção por cloro ou outra tecnologia. Caso seja desconhecida a origem, recomenda-se ferver a água antes do consumo e antes do preparo de alimentos por, no mínimo, 5 minutos.

• A higienização das superfícies, equipamentos e utensílios usados no preparo e consumo de alimentos deve ser realizada com água tratada e/ou fervida.

• O gelo para consumo ou conservação de alimentos deve ser feito de água potável e/ou fervida.

• Higienizar as mãos de forma adequada, lavando-as com água e sabão, principalmente após a utilização de banheiro, troca de fraldas, antes de preparar e manipular alimentos e antes das refeições.

• Afastar as pessoas doentes das atividades de manipulação de alimentos e reforçar a higiene pessoal mesmo após o desaparecimento dos sintomas.

• Realizar a limpeza da caixa d’água uma vez ao ano ou sempre que necessário.

Compartilhe